7 dicas para guitarristas fazerem transmissões ao vivo

teste

A transmissão ao vivo ou o “Live Streaming” hoje representa grande parte do engajamento de um público e requer do músico, uma série de novas habilidades.

Hoje em dia, qualquer pessoa com uma webccam pode fazer uma transmissão ao vivo. O poderoso recurso de oferecer um chat onde o público pode se comunicar instantaneamente com o artista faz desse formato de comunicação, um dos mais poderosos para bandas, cantores e artistas em geral.

Mas para que a sua “Live” seja bem sucedida é preciso ter alguns cuidados para que seu público esteja sempre interessado em acompanhar você ao vivo. Para isso, separamos 7 dicas:

1 – Música é o carro chefe

Não crie uma “Live” se você não tiver algo relevante para mostrar, digo isso musicalmente. Pessoas estão dispondo de seu precioso tempo para assistir sua transmissão, elas poderiam estar em outro canal ou site, mas escolheram você. Seja em um quarto simples ou em um estúdio, sua apresentação precisa ter a mesma energia de um show. Sua música precisa soar com força, precisa ser o remo desse barco. Ele não andará com a força do vento, acredite.

2 – Não seja estático. Mostre sua personalidade

Uma transmissão ao vivo é um encontro face a face. Quem te assiste deve ter a impressão de que você está ali ao vivo, exclusivamente para ela. Nessa hora, é vital ir além da música. Não seja uma Jukebox que despeja música o tempo todo, mostre sua personalidade, se conecte com o seu público. É tímido? Diga isso na frente da câmera, conte fatos pessoais, converse com as pessoas. O poder desse formato está justamente na capacidade de descer do palco e levar para sua casa, uma audiência que você jamais conseguiria impactar.

3 – Estruture sua transmissão

Como qualquer canal de comunicação, uma transmissão de vídeo ao vivo terá melhores resultados se for planejada. Que tipo de repertório poderá trazer o público para perto? Qual o melhor lugar? Quanto tempo de atividade? Que assuntos posso abordar? Com uma pequena lista de prioridades construída, as chances de você cair de pára-quedas em uma transmissão sem saber o que realmente fazer diminui. Não preciso dizer que isso é parte do sucesso.

4 – Seja espontâneo

Estruturar uma transmissão não significa engessá-la. Seja espontâneo, siga um planejamento mas tenha a liberdade para alterá-lo quando achar interessante. Projetou uma transmissão de 30 minutos e percebeu que as pessoas estão gostando? Aumente o tempo, tenha novas ideias e mantenha a curva da sua audiência no topo. Acima de tudo, seja verdadeiro. Nada supera isso.

5 – Participação do público é muito importante

Sabe por que o Silvio Santos realiza a anos um programa direto do seu auditório? Sem cenários suntuosos, mostrando apenas o público que também participa ativamente, há mais de 30 anos ele mantém um formato vencedor no SBT com grande audiência. O motivo é simples: As pessoas se enxergam naquela plateia. Quando conversa com alguém da “caravana de tal lugar” ele conversa com o Brasil. Coloque as pessoas sempre em evidência. Fale nomes. Converse ao vivo. Me conte os resultados depois, ok?

6 – Facebook e You Tube: Cada um no seu lugar

Os dois maiores canais para sua transmissão possuem aplicações estratégicas diferentes. Enquanto uma “Live” por Facebook atrai mais pessoas em pouco tempo, acaba também caindo no “buraco negro” dos conteúdos da rede social.

Como tudo o que você posta no FB, esse vídeo será esquecido pelos próximos meses. Mas, se o seu foco é atingir uma audiência a curto prazo, não existe melhor formato.

Reunir público para uma transmissão no You Tube requer mais trabalho, o site não possui uma timeline que avisa aos usuários sobre o que está acontecendo, mas, guarda seu conteúdo e o apresenta à novas pessoas de acordo com o comportamento de busca. Isso é poderoso. Se você deseja disponibilizar seu vídeo para novos públicos com o passar dos anos, essa é uma escolha sábia.

7 – Chame o público para uma ação

Quando você reúne um público engajado é importante subir mais um degrau nessa relação. O engajamento perde força quando não se estimula ações posteriores, é como um vendedor que fala muito do produto, encanta as pessoas, mas, nunca diz o preço. O público está “na dele” quer comprar, mas, por não saber quanto custa, vai embora.

Se você percebe que sua transmissão está popular, o público está “na sua”, chame-o para uma ação a seu favor. Pode ser desde o cadastro na sua lista de e-mail até a compra do seu disco, não importa.

Dê a chance desse público retribuir o que recebeu. Ele te agradecerá, com certeza.

Fonte: Palco Digital

Login

Bem-vindo! Faça o login em sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password